WhatsApp

Fechar busca

Digite o nome do produto

Digite o nome do produto e toque em Ir ou selecione um produto da lista.
R$ 0,00

Meu Carrinho

Indique amigos e ganhe créditos em nossa loja!

Uma das maiores contradições dos praticantes de regimes radicais sem orientação profissional é excluir alimentos da dieta por serem considerados calóricos demais. 


Caloria (kcal) é a unidade de medida da energia que os alimentos oferecem: quanto mais calóricos, mais energia oferecem. Nosso corpo gasta energia  a todo momento através do metabolismo basal (batimentos cardíacos, funções cerebrais, contrações intestinais, etc.), além de atividades do dia a dia (caminhar, subir escadas, dançar, etc.). Caso o débito energético for positivo – ou seja, a energia ingerida for maior do que a energia utilizada –, ela se transforma em reserva na forma de gordura. 


O segredo não é a exclusão dos alimentos, e sim o consumo com moderação, e a variedade nas formas de preparo. O nutricionista Daniel Coni da Silva lista abaixo os 5 erros mais comuns na alimentação para quem quer perder peso ou apenas manter a boa forma.


1 - Desconhecer os grupos alimentares
Arroz, purê de batata, macarrão e farinha de mandioca fazem parte do mesmo grupo alimentar: o dos carboidratos (energéticos). Logo, escolha apenas um desses alimentos (preferencialmente na sua forma integral) para compor o prato. Esse é um erro comum em restaurantes de comida por quilo. Escolha arroz ou macarrão; batata ou farofa, e assim por diante. Veja como a união desses alimentos sobrecarrega o prato: 100 g de arroz cozido contém 130 kcal; 100 g de macarrão contém 371 kcal; 100g de farinha de mandioca contém 364 kcal.
Outros exemplos de alimentos pertencentes ao mesmo grupo alimentar: feijão, grão-de-bico, lentilha e ervilha são do grupo das leguminosas. Frango, peixe e carne bovina são do grupo das proteínas animais (opte por cortes sem pele e sem gorduras extras).


2 - Usar mais óleo e açúcar do que o necessário
O mesmo ingrediente em proporções diferentes possui quantidade de calorias diferentes.
Exemplo: 1 colher de sopa (15ml) de azeite de oliva extravirgem contém 119 calorias, já 1 colher de chá (5 ml) contém 40 calorias. O tipo de alimento também influencia: 1 colher de sopa de açúcar refinado (30 g) contém 125 calorias, já 1 colher de sopa de açúcar mascavo (18 g) contém 56 calorias. Diferentes ingredientes em proporções iguais possuem quantidade de calorias diferente.


3 - Exagerar nos "saudáveis"
Não. Fontes de lipídios e açúcares, principalmente, devem ser consumidos com moderação devido ao seu alto teor calórico, como oleaginosas, alguns tipos de peixes, óleos e frutas secas. Em 50 g de castanha de caju, por exemplo, há cerca de 290 kcal; em 50g de macadâmia, 359 kcal; 100 g de banana passa contém 345 kcal; 100g de salmão contém 243 kcal.


4 - Fritar por imersão frequentemente
Ao fritar um alimento, aumenta-se em até 3 vezes o seu valor calórico. No método de cocção grelhado ou assado, o alimento é desidratado através do ar quente da chapa, frigideira, forno ou das famosas airfryers. Para evitar que fique ressecado, pode-se utilizar um fio de azeite de oliva ou técnicas como o papilote, em que o alimento é assado envolto numa trouxinha de papel alumínio, que serve para criar vapor.
Exemplos: batata frita (100 g = 312 kcal) versus batata rústica ao forno (100g = 149 kcal); frango frito (100 g = 318 kcal) vs frango assado (100 g = 237 kcal).


5 - Não ler a tabela nutricional
Leia a tabela nutricional para entender a quantidade da porção recomendada. Quantas calorias há em 1 unidade, 1 fatia média, 30 g? Isso vai ajudar a decidir quanto daquele alimento deve ser consumido de uma vez só. 
Comparativos entre alimentos:
100 g de queijo cheddar (402 kcal) X 100 g de queijo minas frescal (264 kcal)
100 g de pão francês (266 kcal) X 100 g de biscoito recheado (469 kcal)
100 ml de suco integral de uva (64 kcal) X 100 ml de achocolatado pronto (92,5 kcal)


A Keep Light utiliza técnicas gastronômicas a fim de preservar o sabor dos alimentos sem aumentar o valor calórico da refeição. Dentre essas técnicas, trabalhamos com métodos de cocção via calor seco (assado, grelhado), calor úmido (cozido, ensopado e braseado) ou misto (seco + úmido) através do forno combinado. Além disso, utilizamos as melhores matérias primas disponíveis no mercado, sempre optando pelas suas versões diet e light.