WhatsApp

Fechar busca

Digite o nome do produto

Digite o nome do produto e toque em Ir ou selecione um produto da lista.
R$ 0,00

Meu Carrinho

Indique amigos e ganhe créditos em nossa loja!

Arroz é um alimento tão comum na mesa do brasileiro que virou até expressão: tem o arroz (aquela pessoa que não "pega" ninguém, pois é sempre o "acompanhamento"); o arrozeiro (aquele que dá em cima de alguém insistentemente); o arroz-de-festa (quem não perde nenhum evento!) e também aquilo que é feijão-com-arroz (comum, rotineiro).
 
Apesar de ser um acompanhamento, o arroz tem importância máxima na dieta brasileira, um padrão alimentar que tem como base o arroz + feijão, 2 legumes e 1 proteína (ovo, carne, frango, peixe). O famoso PF (prato feito), conhece?
 
Apesar de sermos um país fã de arroz branco, existem muitos e diferentes tipos de arroz ao redor do mundo. Alguns deles estão no cardápio da Orgânico Gourmet – em versão orgânica certificada, claro!, e até com jeito de prato festivo, combinado com cenoura ou brócolis, ou risoto. Confira a seguir. 
 
O arroz integral é aquele que foi descascado, mas que mantém o farelo, que é a parte que envolve o endosperma (a parte branca do arroz). Ele tem mais fibras e mais nutrientes. No cardápio da Orgânico ele aparece na aba Porções, onde também existe na versão com cenoura e tomilho.
 
O arroz branco, geralmente o agulhinha, é o tradicional arroz do dia a dia. É o arroz sem o farelo, ou seja, apenas a parte interna, que é a branca. Alguns nutrientes se perdem nesse beneficiamento, e parte do sabor original também. 
 
Por ser mais leve e neutro, ele faz ótimas combinações, inclusive na versão cremosa, ideal para combinar com carnes, já provou? No nosso cardápio ele também aparece como acompanhamento da moqueca de cogumelos paris e pupunha, e do picadinho com páprica, misturado com brócolis – igualmente disponível em porção avulsa
 
O arroz vermelho, assim como o integral, tem o farelo preservado, com a característica da coloração avermelhada, que deixa um visual especial no prato, além da textura incomum. Temos? Temos! Esse é o arroz que acompanha o frango thai, e também a abobrinha recheada.
 
Tanto o carnaroli quanto arbório são grãos italianos curtos, com muito amido, perfeitos para fazer pratos caldosos como o risoto – já provou o de cogumelos e o de pupunha? O carolino é outro exemplo do tipo, mas de origem portuguesa, com o qual se faz arroz de polvo. 
 
O arroz basmati e o jasmine são aromáticos, comuns acompanhamentos das culinárias indiana e thai, respectivamente, geralmente apimentadas e condimentadas. 
 
Tal e qual o vermelho, o arroz negro é outro bom exemplo de alimento que dá aquela levantada na apresentação. De origem chinesa, ele tem cor preta e combina muito bem com frutos do mar. 
 
Falando em frutos do mar, a famosa paella é feita tradicionalmente com arroz bomba, sabia? Ele é curto e, por ter bastante amido, fica cremoso depois de cozinhar. 
 
No Japão, grande consumidor de arroz, é mais comum o chamado arroz para sushi, que é curto, com bastante amido, ideal para ficar "grudadinho", como pede a culinária local.

 


"O arroz é ótimo se você estiver com muita fome e quiser comer dois mil de alguma coisa" 
Mitch Hedberg, comediante norte-americano