WhatsApp

Fechar busca

Digite o nome do produto

Digite o nome do produto e toque em Ir ou selecione um produto da lista.
R$ 0,00

Meu Carrinho

Indique amigos e ganhe créditos em nossa loja!

Revistas, influenciadores e até o nosso chef, André Galante, fazem uma leitura dos novos tempos – tempos de pandemia – e indicam tendências para o mundo da gastronomia em 2021, seja em restaurantes, seja em casa.
 
Comer bem vai além da comida
Chef da Orgânico Gourmet, André Galante observa que o slow food se fortaleceu depois da pandemia. "As pessoas querem se alimentar melhor, e não só de maneira mais saudável, mas também fazendo de cada refeição uma experiência. Elas fazem questão de pôr a mesa e usar as louças pertinentes. E estão aproveitando para usar o que têm de bom em casa, tirando do armário os talheres que ganharam de casamento, por exemplo".
 
Restaurante em casa
Com a pandemia, muitos restaurantes tiveram que adotar e assumir o delivery e take-out às pressas. A tendência que veio de 2020 segue forte em 2021, e com desdobramentos: deve-se ampliar as ofertas de levar a experiência do restaurante para dentro da casa das pessoas, seja repensando a embalagem – para fugir do plástico e fazer uma boa apresentação – seja, em casos especiais, oferecendo uma louça ou recipiente que cause impacto na mesa, para se aproximar do que acontece no restaurante. 
 
Cogumelos e tofu
O número de flexitarianos, vegetarianos e veganos deve continuar aumentando. Junto com eles, opções de fontes de proteína alternativas à carne sobem junto no ranking de tendências. O cogumelo e o tofu devem brilhar em receitas de todo tipo. Já provou estes pratos que levam cogumelos?
 
Comfort food no cardápio
Depois de tanto lockdown, quarentena, isolamento… E de tanto delivery de todo tipo de comida, chefs norte-americanos apostam que os cardápios devem contemplar opções que remetem à simplicidade. Pense em pratos como o hambúrguer – mas sem firulas – e a pizza – sem invencionice. Ou seja, sabores originais, que levem as pessoas para os velhos tempos. Alguém pensou em picadinho?
 
Conservas e reaproveitamento
Muita gente foi pra cozinha depois da pandemia. E descobriu – ou redescobriu – a paixão por transformar ingredientes em pratos, sobremesas, lanches e bebidas. E também precisou inventar moda para reaproveitar alimentos. As técnicas de fermentação, tão antigas, ganharam destaque. Elas vão além do levain, que é um fermento natural para fazer pães – uma tendência absoluta de 2020 –, e chegam às conservas de vegetais, como o picles de pepino e beterraba, por exemplo. Valem os azeites aromatizados, as manteigas temperadas e as carnes curadas também.
 
Orgânicos
A preocupação com a saúde aumentou muito. Além dos "alimentos que aumentam a imunidade" (leia mais sobre o assunto para entender por que eles não funcionam separadamente), aumentou o consumo de orgânicos, que não levam agrotóxicos e cujo plantio preserva o solo, as águas e as comunidades locais. A Orgânico Gourmet já está nessa desde o início!
 
Açúcar alternativo
O consumo de açúcar refinado é responsável por aumentar taxas de obesidade e diabetes. As alternativas para adoçar – sem usar adoçantes ultraprocessados – ganham força nas prateleiras. É o caso do açúcar de coco, do néctar de coco e do melado de cana. As tâmaras e o maple syrup também fazem sucesso lá fora. Em tempo: esta tartelete de coco e manga é um ótimo exemplo.
 

 

 
"Boa comida é uma boa tendência."
Thomas Keller, chef norte-americano